ENTREVISTA - 03/01/2017 16:45 (atualizado em 03/01/2017 16:48)

Deputado Eskudlark é a favor da legalização de jogos de azar e explica posição

Para ele, jogos existem, muitas pessoas jogam e legalização movimentaria economia
1 Comentário
Recomendar correção
Obrigado pela colaboração!
Ouça o áudio:
Ouça entrevista com o deputado Eskudlark
A Câmara dos Deputados em Brasília pode votar em fevereiro a legalização dos chamados jogos de azar no Brasil, como jogo do bicho, caça-níquel e outras apostas. A Comissão Especial do Desenvolvimento Nacional do Senado aprovo, recentemente, o projeto que legaliza a exploração comercial em todo o território nacional. O projeto foi apresentado em 2014 pelo senador Ciro Nogueira (PP-PI) e tem prosseguimento.
Em entrevista à Rádio Líder, deputado defendeu legalização 

Em Santa Catarina, os deputados federais são favoráveis. Os deputados estaduais também debatem a situação. 

Em entrevista à Rádio Líder FM, o deputado estadual Maurício Eskudlark, de São Miguel do Oeste, disse que é favorável. Ele explica, por exemplo, que o jogo do bicho “está enraizado no país”. Então, ele existe e o melhor é legalizar, cobrar imposto e normalizar, segundo o deputado. Ele acredita que vai levar renda e melhorar as áreas nos municípios onde poderia ser explorado. Ele diz que acaba movimentando a economia. 

Quando questionado sobre as drogas como maconha e outras, que existem e são usadas, mas proibidas, Eskudlark afirma que o argumento é outro e totalmente diferente. “A diferença é grande. O jogo é algo como uma cultura popular. Agora, as drogas trazem dano para a saúde, para a família, sociedade, que destrói uma comunidade inteira”, afirma. Segundo ele, são questões totalmente diferentes.

Fonte: Ederson Abi/WH Comunicações
Publicidade
Publicidade
1 Comentário
:
  • 04/01/2017
    09h32
    cesar rogerio ebert
    Não me surpreende que o Dep. seja favorável a legalização do crime. Suas posições políticas e suas atividades empresariais ocultas, de conhecimento de grande parte da população, somente comprovam o caráter pernicioso deste senhor. Mauricio disse que é favorável. Ele explica, por exemplo, que o jogo do bicho “está enraizado no país”. Então, ele existe e o melhor é legalizar, cobrar imposto e normalizar. O melhor para quem? Não para a sociedade. É apenas para os grupos que desejam explorar a atividade e para o governo arrecadar impostos sobre a atividade ilícita.
    DENUNCIAR
Cadastro WH3
Clique aqui para se cadastrar
Carregando...