PELA PRIMEIRA VEZ - 22/12/2016 13:33

Smartphone se torna o maior meio de acesso à internet no Estado

"Acesso pelo telefone celular vem ganhando mais importância frente ao meio mais tradicional, que era o microcomputador", diz pesquisadora
Comente agora!
Recomendar correção
Obrigado pela colaboração!

Em 2014, Santa Catarina ainda apresentava proporções de domicílios onde o acesso à internet feito exclusivamente pelo computador eram superiores às referentes ao uso de dados exclusivamente no smartphone ou tablet. A mesma realidade também era observada no Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro. Mas conforme mostra o Suplemento de Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2015, divulgado nesta quarta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nenhum Estado ainda possui esse mesmo diagnóstico. 

A maioria das residências de todas as unidades da federação tem na telefonia móvel o ponto de partida para uso da internet. Na região Sul, esse dispositivo é usado por 88,2% das pessoas entrevistadas, enquanto 78,6% utiliza o microcomputador, 20,9% o tablet, 9,3% a televisão e 1,1% outro equipamento. 

A pesquisadora do IBGE, Helena Oliveira Monteiro, destaca a consolidação do celular como o principal meio para acessar a internet no Brasil. 

— É interessante observar que o computador tem perdido espaço nesta utilização da internet enquanto outros equipamentos têm ganhado relevância. O acesso pelo telefone celular vem ganhando mais importância frente ao meio mais tradicional que era o microcomputador — comentou à Agência Brasil. 

— Em 2015, verificamos pela primeira vez uma redução em termos absolutos no número de domicílios que acessaram a internet por meio de microcomputador, passando de 28,2 milhões de domicílios, em 2014, para 27,5 milhões, em 2015 — acrescenta.

Apesar do crescimento do uso de dispositivos móveis, ainda se pode observar uma tendência pela internet fixa no Estado. Especificamente em Santa Catarina, 17% das residências aposta exclusivamente no celular ou no tablet e 11% somente no microcomputador — esse é o segundo maior índice do país, atrás somente do Estado gaúcho. Junto com o Distrito Federal e o Paraná, a banda larga fixa atinge 80% das residências catarinenses.
Fonte: DIÁRIO CATARINENSE
Publicidade
Publicidade
Nenhum comentário enviado
:
Cadastro WH3