LAVA-JATO - 18/05/2017 15:03 (atualizado em 18/05/2017 15:58)

O Globo divulga imagens de pagamento de propina

Imagens são exclusivas da Coluna de Lauro Jardim
Comente agora!
Recomendar correção
Obrigado pela colaboração!
Cenas que provam a entrega de propina aos indicados de Temer e Aécio (O Globo/Reprodução)

Se no sul as temperaturas vem caindo nos últimos dias, na região Centro-Oeste do país o clima vem esquentando dia após dia. No início da noite de quarta-feira (17), Brasília “pegou fogo” após notícia divulgada com exclusividade pela coluna de Lauro Jardim, de O Globo. 

De acordo com a publicação, replicada em sites de notícias nacionais e internacionais, um dos donos do grupo JBS, Joesley Batista, teria dito em delação à Procuradoria-Geral da República (PGR) que gravou, em março deste ano, o presidente Michel Temer dando aval para comprar o silêncio do deputado cassado e ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Desde então, as principais notícias desta quinta-feira (18) giram em torno do assunto.  Ainda na noite de ontem, o Palácio do Planalto enviou nota sobre a reportagem do jornal "O Globo" em que argumenta que “o presidente Michel Temer jamais solicitou pagamentos para obter o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha” e que “não participou e nem autorizou qualquer movimento com o objetivo de evitar delação ou colaboração com a Justiça pelo ex-parlamentar”.

No início da tarde desta quinta-feira (18), o jornalista Lauro Jardim divulgou fotografias que mostram o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) pegando R$ 500 mil em propina — a primeira parcela de um montante prometido de R$ 480 milhões. As cenas também mostram o primo de Aécio Neves, Frederico Pacheco de Medeiros, pegando, a mando de Aécio, R$ 1,5 milhão em propina para Joesley, sem saber que era gravado.

A delação de Joesley e de seu irmão, Wesley Batista, foi homologada, segundo o Supremo. Pela Constituição, o presidente da República só pode ser investigado por atos cometidos durante o exercício do mandato e com autorização do STF. Com isso, ele poderá ser investigado porque os fatos narrados por Joesley Batista na delação teriam sido cometidos em março deste ano, quando Temer já ocupava a Presidência.

Fonte: O Líder
Publicidade
Publicidade
Nenhum comentário enviado
:
Cadastro WH3
Clique aqui para se cadastrar
Entre em contato com a WH3
600

Rua 31 de Março, 297

Bairro São Gotardo

São Miguel do Oeste - SC

89900-000

(49) 3621 0103

Carregando...