Bom Exemplo - 09/08/2017 05:37

Jovem bate em carro de luxo e deixa bilhete com telefone em Florianópolis: 'Desculpe'

Rapaz deixou contato e se dispôs a pagar o conserto de Porsche; dono do veículo diz que o valor não fará diferença e elogiou atitude do rapaz.
Comente agora!
Recomendar correção
Obrigado pela colaboração!
Após arranhar veículo, jovem deixa bilhete com contato (Foto: Matheus Souza/Arquivo Pessoal)

Embora o assistente de apoio Matheus Inácio Souza diga que não fez mais do que a obrigação, o fato de ter deixado um bilhete no para choque de um Porsche para se desculpar por ter batido no veículo tem lhe rendido muitas mensagens de parabéns. A colisão ocorreu na última sexta-feira (4) no bairro Santa Mônica em Florianópolis quando o jovem de 21 anos tentava estacionar para ir a um restaurante.

'Deus estava comigo e me mostrou o que precisava ser feito', diz Matheus (Foto: Matheus Souza/Arquivo Pessoal)

“Já não consigo mais acompanhar as mensagens que chegam, de tantas que são”, contou o rapaz. Depois de bater em várias casas próximas, em busca do dono do carro, sem sucesso, ele tomou uma decisão. “Escrevi um bilhete para me desculpar, deixar meu contato e fui almoçar. Quando voltei, o carro ainda estava ali”, contou o rapaz.

Naquele dia, o psicólogo Carlos Pimenta participava de uma reunião de trabalho no bairro quando se deparou com o bilhete ao pegar o veículo. “Na verdade foi só um arranhão, em uma rua em que, provavelmente, ninguém viu o que aconteceu. Matheus não tinha motivo nenhum para ter essa atitude, foi só uma questão de ética. Temos que valorizar esse tipo de prática”, elogiou Carlos.

Surpreso, o psicólogo ligou para o número escrito no bilhete. “Ele foi muito responsável, disse que apesar de o carro ser importado e ele ganhar pouco não fugiria da responsabilidade. Embora eu tenha dito que vou procurar um orçamento, não vou levar para conserto, esse valor não fará diferença na minha vida, mas a atitude dele fez”, relatou.

Matheus diz que, apesar do susto de bater em um carro como o de Carlos, sua reação não foi por acaso: "Eu fui guiado, Deus estava comigo e me mostrou o que precisava ser feito", disse o jovem, que sonha em cursar uma faculdade de direito.
Psicólogo diz que arranhão não fez diferença (Foto: Arquivo Pessoal)
Fonte: G1
Publicidade
Publicidade
Nenhum comentário enviado
:
Cadastro WH3