SAÚDE - 13/02/2018 11:25

Sem vacinas BCG e pentavalente, Gerência Regional busca remanejamento de doses

O Estado recebeu as últimas remessas no mês de janeiro e ainda não recebeu as de fevereiro. O Ministério da Saúde diz que deve enviar as doses da BCG ainda neste mês
Comente agora!
Recomendar correção
Obrigado pela colaboração!
Foto: Reprodução Internet

Os estoques das vacinas vacina BCG e pentavalente estão zerados na Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina. O Estado recebeu as últimas remessas no mês de janeiro e ainda não recebeu as de fevereiro. O Ministério da Saúde diz que deve enviar as doses da BCG ainda neste mês, mas para a pentavalente ainda não há prazo.

A falta já reflete nas salas de vacinas dos municípios. Na Gerência Regional de Saúde de São Miguel do Oeste a situação é de remanejamento. Conforme a enfermeira responsável pelo setor de imunização da Regional, Dila Possati, a falta das doses preocupa pelo fato de serem vacinas fundamentais para crianças de menos de um ano. “A BCG, no caso, é a primeira vacina que a criança recebe quando nasce. Não temos estoque”, diz.

A enfermeira salienta que foi realizado um levantamento nos municípios abrangidos pela Regional para verificar a possibilidade de um remanejamento de doses. Alguns municípios disponibilizam ainda certo número de vacinas, no entanto, o remanejamento não vai resolver o problema. 

“Fizemos levantamentos para ver se algum município tinha doses a mais que poderia ser feita uma distribuição. Alguns municípios tem mais doses e podemos remanejar, no caso da pentavalente. De maneira geral, não vai solucionar o problema. Estamos tentando achar uma maneira, mas municípios grandes como São Miguel do Oeste e São José do Cedro estão sem. Não temos previsão de quando essas vacinas chegam”, argumenta.

Frente à situação, os técnicos das salas de vacinas estão sendo orientados a fazer um cadastramento das crianças que procurarem a imunização. “A gente orienta para os técnicos que atuam na sala de vacina que façam um cadastro dessas crianças para depois que chegar essas doses, fazer a comunicação da família para levar a criança tomar essa vacina”, menciona.

Até que isso ocorra, a orientação da Gerência é que as crianças que ainda não foram imunizadas fiquem o mínimo possível expostas à aglomeração de pessoas. “Tirar o menos possível a criança de casa, não expor a um aglomerado de pessoas porque essa criança fica exposta. No momento em que a criança recebe a vacina tem um período de 10 dias até a vacina reagir, mas no momento que recebe a vacina ela começa a desenvolver a imunidade”, justifica.

BCG E PENTAVALENTE

A BCG é a vacina contra tuberculose (uma doença infectocontagiosa causada pelo Mycobacterium bovis ou pelo Bacilo de Koch. A tuberculose ataca mais comumente os pulmões, mas pode também causar infecções nos ossos, rins e meninges.

A vacina pentavalente é formada pela união da vacina tetravalente com a vacina de hepatite B. Trata-se de uma vacina que permite que a criança fique imune contra as cinco doenças que a vacina protege: tétano, difteria, meningite, coqueluche (e outros tipos de infecções provocadas pelo Haemophilus influenzae tipo B) e a hepatite B.
Fonte: WH Comunicações / Camila Pompeo / Jucinei da Chaga
Publicidade
Publicidade
Nenhum comentário enviado
:
Cadastro WH3
Clique aqui para se cadastrar
Entre em contato com a WH3
600

Rua 31 de Março, 297

Bairro São Gotardo

São Miguel do Oeste - SC

89900-000

(49) 3621 0103

Carregando...