SÃO MIGUEL DO OESTE - 17/05/2018 14:53 (atualizado em 17/05/2018 17:02)

Assistência Social já atendeu a nove casos de abuso sexual de crianças e adolescentes em 2018

Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, celebrado nesta sexta-feira (18), terá pedágio em São Miguel do Oeste
Comente agora!
Recomendar correção
Obrigado pela colaboração!
Foto: Camila Pompeo / WH Comunicações 

Araceli tinha 8 anos quando foi sequestrada, violentada e cruelmente assassinada por jovens de classe média/alta, que nunca foram punidos. O crime bárbaro foi registrado no Estado do Espírito Santo, em 1973, e foi o gatilho para uma mobilização nacional. Para lembrar a importância do combate, a Lei Federal nº. 9.970/2000 instituiu no dia 18 de maio, dia da morte da garotinha, o “Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes”, com ações em todos os estados brasileiros.

Em São Miguel do Oeste, além de uma capacitação setorial dos profissionais das pastas de Assistência, Educação e Saúde, um pedágio informativo será realizado nesta sexta-feira (18), no Calçadão, das 14h às 16h. A diretora de Assistência Social, Marcionize Filipini explica que o objetivo é fazer com que a comunidade se sinta parte importante no combate ao abuso. 

Foto: Camila Pompeo / WH Comunicações 

“Pensamos no pedágio informativo, que vai envolver a comunidade para que ela se sinta parte e possa ajudar a prevenir o abuso sexual. Aliamos os nossos serviços, os profissionais e agora nos aproximamos da comunidade. Essa é uma data em que os estados e municípios se reúnem para mobilizar as discussões sobre o abuso, pra fazer com que todos se sintam parte do enfrentamento e do combate. Nós não queremos falar do abuso como algo que vemos no noticiário. Acontece sim na nossa cidade, no nosso bairro, muitas vezes mais próximo de nós do que podemos imaginar”, explica. 

No Brasil o “Disque 100”, criado pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, é um serviço de recebimento, encaminhamento e monitoramento de denúncias de violência contra crianças e adolescentes. A assistente social, Ana Paula Puhle explica que a denúncia é anônima e muito importante. Somente em 2018, já foram contabilizados pela Secretaria de Assistência Social, nove casos de abuso e exploração de crianças e adolescentes em São Miguel do Oeste.

Foto: Reprodução 

“Hoje facilita muito o Disque 100, meio por onde as denúncia são feitas de forma sigilosa. As escolas, delegacia, o próprio Disque 100, os Cras e Creas, todos somos canais para atender as denúncias. É muito importante e mesmo que seja uma suspeita, é melhor que seja comunicado. Em 2017, o Creas atendeu 16 casos de situações de abuso envolvendo crianças e adolescentes. Até metade deste mês de maio foram nove casos”, menciona.

O abuso sexual pode acontecer dentro e fora do núcleo familiar, com ou sem contato físico. Por isso, a orientação é que as famílias fiquem atentas ao menor sinal de mudança no comportamento das crianças ou adolescentes. 

“Nós temos sempre que trabalhar a consciência de que o abuso sexual vai muito além do contato físico, nós consideramos abuso o simples fato de espionar uma criança e adolescente em um momento íntimo, o fato de expor a criança ou adolescente para assistir um filme pornográfico, um conteúdo que extrapole sua capacidade de compreensão. O que as famílias podem perceber é que o comportamento nunca muda apenas em um aspecto, a mudança vai ser no todo, na escola, no comportamento, nas emoções”, finaliza Marcionize. 

OUÇA A ENTREVISTA:
VEJA MAIS IMAGENS
Fonte: WH Comunicações / Camila Pompeo
Publicidade
Publicidade
Nenhum comentário enviado
:
Cadastro WH3
Clique aqui para se cadastrar
Entre em contato com a WH3
600

Rua 31 de Março, 297

Bairro São Gotardo

São Miguel do Oeste - SC

89900-000

(49) 3621 0103

Carregando...