GREVE DOS CAMINHONEIROS - 30/05/2018 09:58 (atualizado em 30/05/2018 10:36)

Defesa Civil aponta prejuízo de R$ 1,8 milhão no movimento econômico em Descanso

Produção agrícola e pecuária são as mais atingidas
Comente agora!
Recomendar correção
Obrigado pela colaboração!
Produção agrícola e pecuária são as mais atingidas - Foto: WH Comunicações

A administração de Descanso vem adotando medidas, a exemplo de demais municípios da região, para manter serviços essenciais em decorrência da greve dos caminhoneiros, que completa 10 dias hoje. Mesmo com pouco combustível, as aulas serão mantidas até esta quarta-feira (30). Amanhã é feriado de Corpus Cristhi e na sexta-feira (1º) será ponto facultativo no município.

Conforme o coordenador da Defesa Civil de Descanso, Élcio Geziur, o abastecimento de água em Linha Campinas e Itajubá está ocorrendo dentro da normalidade. O abastecimento de água da Casan também ocorre normalmente, mas segundo ele, depende de produtos para o tratamento, que estão à caminho por meio de escolta. Na Saúde, apenas os atendimentos emergenciais estão mantidos. Já os serviços de Urbanismo foram interrompidos.

A principal preocupação é com a alimentação dos animais e coleta do leite nas propriedades rurais do município. Geziur diz que o setor está sendo prejudicado desde o segundo dia de greve na região. Ele salienta que já há estimativa de perda no movimento econômico em Descanso. "É preocupante a questão de alimentação. O abastecimento de ração esta prejudicado e estimamos perda semanal de R$ 1,8 milhão no movimento econômico. É um valor considerável então está sendo uma preocupação nossa. Os produtores de leite também estão contabilizando perdas", disse.

Conforme Geziur, as perdas ainda não foram levantadas, mas são irreparáveis. Caso a greve continue, o coordenador da Defesa Civil diz que a situação vai piorar ainda mais. "A questão do leite, está sendo literalmente jogado fora. Não tem como reaproveitar isso. É irrecuperável. tem produtores reduzindo a produção, está se alimentando para que os animais não passem fome e não para ganhar peso. Tende a piorar, os serviços da administração vão estar comprometidos e não conseguimos realizar serviços que precisam de deslocamento. As máquinas estão paradas e o abastecimento de água em alguns pontos também vai ser comprometido. Estamos trabalhando com cautela para que sejam resolvidos os impasses. Esperamos que sejam atendidas as reivindicações dos caminhoneiros e possamos retornar às atividades", finaliza.

A Defesa Civil Municipal e Regional tem trocado informações e realizado apontamentos para manter serviços essenciais.
Fonte: Redação WH Comunicações
Publicidade
Publicidade
Nenhum comentário enviado
:
Cadastro WH3
Clique aqui para se cadastrar
Entre em contato com a WH3
600

Rua 31 de Março, 297

Bairro São Gotardo

São Miguel do Oeste - SC

89900-000

(49) 3621 0103

Carregando...