REGIÃO - 02/10/2018 12:03 (atualizado em 02/10/2018 13:33)

OUÇA: Chuva colabora com surgimento de novos buracos e BR-163 fica em condições precárias

PRF chegou a interditar trechos no fim de semana. Dnit diz que trabalho emergencial já está sendo realizado
Comente agora!
Recomendar correção
Obrigado pela colaboração!
Foto: Camila Pompeo | WH Comunicações
Transitar pela rodovia que liga São Miguel do Oeste a Dionísio Cerqueira continua sendo um desafio para os motoristas da região. Os buracos vistos com frequência parecem ter se multiplicado nos últimos dias em decorrência da quantidade de chuva. Em alguns trechos é impossível transitar sem cair em pelo menos uma cratera espalhada pela malha viária. No último fim de semana a situação voltou à tona e as críticas dos motoristas e da população da região ganharam ainda mais força. 
Foto: Adriano Rodrigo | Raio de Luz | WH Comunicações
Os trechos mais precários, entre São Miguel do Oeste e Guaraciaba, ganharam sinalização da Polícia Rodoviária Federal (PRF) no intuito de melhorar a visibilidade dos condutores e evitar acidentes. Nossa equipe de reportagem percorreu o trecho e registrou em fotos alguns dos locais mais precários. Encontramos pelo caminho equipes realizando trabalhos no pavimento e drenagem da rodovia.
O trabalho teve início nesta segunda-feira (2) por determinação do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), unidade de Chapecó. O superintendente regional do Departamento, Diego Fernando da Silva, diz que os trabalhos emergenciais têm o objetivo de “eliminar os pontos mais críticos”. 
A revitalização completa da rodovia, ainda esbarra na burocracia e depende de uma autorização do Dnit em Brasília para que o processo tenha andamento. Silva explica que a partir dessa definição será possível dar início ao processo licitatório para definição da empresa que executará os trabalhos. A expectativa, segundo ele, é de que a autorização saia ainda em 2018. 
- Essa é a solução que a gente tem trabalhado para viabilizar. Trabalhamos com o levantamento dos remanentes neste ano, com a Sul Catarinense. Fizemos o levantamento das soluções, foram feitas atualizações. Hoje o anteprojeto que são as diretrizes que vão ser seguidas pela empresa vencedora estão concluídas e, hoje, a superintendência de Chapecó e Florianópolis aguarda a autorização do Dnit em Brasília para fazer o procedimento licitatório – diz o superintendente.
Foto: Camila Pompeo | WH Comunicações
É mais ou menos a mesma situação das BRs-282 e 158 que também tem na burocracia o impedimento para que os trabalhos iniciem. O superintendente regional, Diego Fernando da Silva, justifica que o consórcio vencedor precisou fazer correções no projeto básico.
- Hoje o projeto básico foi apresentado, passou por uma primeira análise da área técnica e foram feitos apontamentos em relação ao cumprimento das exigências técnicas que o consórcio tem que seguir. Foi devolvido para o consórcio com correções a serem feitas, recentemente a resposta do consorcio já foram feitos e está agora em fase de análise se vai autorizar o andamento do projeto executivo. A perspectiva é que se conclua esse processo do projeto básico e executivo ainda este ano – menciona. 
O trecho da BR-282 que liga São Miguel do Oeste a Chapecó e o entroncamento da BR-158 até a divisa com o Rio Grande do Sul vão receber frentes de trabalho para melhoramento, implantação de interseções, eliminação de pontos críticos e, principalmente, restauração do pavimento. O projeto prevê ainda inserção de 32,65 km de terceira faixa.
WILLY BARTH
A Avenida Willy Barth, uma das mais movimentadas vias de São Miguel do Oeste, tem uma circulação diária de cerca de oito mil veículos por dia e os acidentes têm acontecido com frequência nos locais onde a conversão é ilegal. Pensando em diminuir os índices de acidentes, a administração, a PRF e o Dnit estudam já há alguns meses a instalação de “guard rail”, defensa metálica que geralmente aparece nas margens das rodovias.
Silva destaca que o Dnit deve realizar a instalação das defensas o mais breve possível. 
- Em relação às defensas que seriam utilizadas para fazer o fechamento dessas conversões, já recebemos essa demanda, o município apresentou os pontos que entendem que deveria ser objeto dessa intervenção. Agora estamos analisando a disponibilização de material e de que forma vamos proceder essas e outras intervenções de manutenção e esperamos que sejam iniciadas o quanto antes – finaliza.
OUÇA:
VEJA MAIS IMAGENS
Fonte: WH Comunicações / Camila Pompeo
Publicidade
Publicidade
Nenhum comentário enviado
:
Cadastro WH3
Clique aqui para se cadastrar
Entre em contato com a WH3
600

Rua 31 de Março, 297

Bairro São Gotardo

São Miguel do Oeste - SC

89900-000

(49) 3621 0103

Carregando...