Tráfico de drogas - 27/10/2014 08:20 (atualizado em 27/10/2014 17:06)

Novas diligências da Operação Ostentação foram realizadas nesta segunda-feira

A informação foi repassada à imprensa pelo delegado da Polícia Civil de Maravilha, Daniel Sá Fortes Régis
Comente agora!
Recomendar correção
Obrigado pela colaboração!
Anderson Ribeiro do Amorin chegou em Maravilha na tarde desta segunda-feira (27) (Foto: Isabel Müller/O Líder)

Na manhã desta segunda-feira (27) a equipe de reportagem do jornal O Líder de Maravilha recebeu a informação de que novas diligências estariam sendo realizadas nesta manhã em Maravilha. “As novas diligências dizem respeito ao prosseguimento das investigações da Operação Ostentação deflagrada na última semana”, destacou o delegado da Polícia Civil de Maravilha, Daniel Sá Fortes Régis. 

Conforme ele, Anderson Ribeiro do Amorim, de Foz do Iguaçu, foi preso no dia 17, na deflagração da Operação Ostentação. “Recebemos a informação que poderia ocorrer uma tentativa de resgate, pois ele havia perdido uma carga de droga, na qual era proibido perder e estava sendo ameaçado de morte. Para a segurança dos polícias e do próprio detento, com o apoio do SAER Fron de Chapecó e do Denarc de Cascavel fizemos o translado com o helicóptero da Polícia Civil”, afirma. 

Amorim será ouvido na tarde desta segunda-feira e encaminhado para a Cadeia Pública de Maravilha. Ainda de acordo com o delegado, ele deverá ficar detido no município por dois dias e após será encaminhado para outro presídio do Estado devido a sua alta periculosidade. “Ele vivia do tráfico. Em 2013 já havia sido preso com 451 kg de maconha. No dia 17 de outubro foi preso novamente pelo Denarc de Cascavel e estava detido na Penitenciária Estadual de Foz do Iguaçu”, destaca.
Ecstasy diluído na água e maconha foram apreendidos na festa After do último domingo (26) (Foto: Isabel Müller/O Líder)
Outras apreensões 
Conforme o delegado, na tarde de domingo (26), por volta das 14h, era realizada um festa after no Maravilha Turis Camping, em Maravilha. “Essas festas não podem ser realizadas, pois não têm alvará. Então, interditamos a festa. No local os participaram do evento consumiam ecstasy, que era diluído na água e maconha”, destaca. 

Cerca de 20 pessoas, entre 18 a 23 anos, participavam da festa. O delegado afirma ainda que essas festas não serão mais realizadas em Maravilha. “Se houver uma próxima vez será apreendido o equipamento de som e o responsável pela festa responderá por apologia ao uso de entorpecentes”, enfatiza.


VEJA MAIS IMAGENS
Fonte: Redação Jornal O Líder
Publicidade
Publicidade
Nenhum comentário enviado
:
Cadastro WH3
Clique aqui para se cadastrar
Carregando...