Vamos parar o Brasil - 20/02/2015 15:13 (atualizado em 20/02/2015 16:39)

Agricultores não aderem a movimento e caminhões de leite e ração também são barrados em São Miguel do Oeste

Coordenação deu prazo até às 17h para que agricultores participem do movimento no trevo de acesso a BR-282 ou vai faltar ração para os animais e muito leite vai estragar sem chegar ao seu destino. Já em São José do Cedro, são os agricultores que lideram o movimento e fecham a BR-163
1 Comentário
Recomendar correção
Obrigado pela colaboração!
Foto: Keli Fernandes/ O Líder

Os agricultores prometeram, mas não cumpriram. Nenhum colono apareceu até o momento no trevo da BR-282 em São Miguel do Oeste e os caminhoneiros grevistas já determinaram: caminhões de leite e de ração também não passam nos bloqueios. Até então, os caminhoneiros estavam liberando estes transportadores, colaborando com a classe da agricultura que havia prometido apoio e não cumpriu. Agora, além de todos os tipos de cargas, inclusive vivas e perecíveis, leite e ração também não passam, aumentando o risco de desabastecimento no interior dos municípios. 

Foto: Keli Fernandes/ O Líder

Somente carros de passeio, coletivos e veículos de saúde e segurança tem passe livre nos pontos de bloqueio, nas BRs 163, 282 e no Parque de Exposições Rineu Gransotto. 

A coordenação do movimento deu prazo até às 17h desta sexta-feira (20) para que pelo menos um grupo de 50 agricultores da região participem do movimento em São Miguel do Oeste ou então os caminhões que abastecem o interior não serão mais liberados. As informações foram repassadas por um dos coordenadores do movimento na região, Vilmar Bonora.




Foto: Keli Fernandes/ O Líder
O gerente da unidade da Cooper Alfa em São Miguel do Oeste, Adão de Almeida Leite, também acompanha o movimento no trevo e pediu apoio dos agricultores, para que a situação do setor, que já é complicada, não fique ainda pior. Segundo ele, sem abastecimento, os principais danos serão no leite, que não sairá das propriedades, e nas granjas de aves e suínos, que não terão mais ração para os animais.

Além da agricultura, se o protesto perdurar pelo final de semana, os primeiros setores atingidos serão os de combustíveis e de alimentos perecíveis. 

Em tempo: Em São José do Cedro, são os agricultores que lideram o movimento, fechando a BR-163 para trânsito de veículos agrícolas e de carga. Em entrevista nesta tarde a Rádio 103 FM, o líder no movimento no município destacou o apoio da classe aos motoristas e pediu para que sejam liberados os caminhões de ração e leite na região, visando não prejudicar ainda mais a classe. Segundo os manifestantes, as duas classes tem muito a reivindicar e a união de forças é o caminho para mudar a dura realidade dos setores. 

Mais informações em breve.
Foto: Keli Fernandes/ O Líder
VEJA MAIS IMAGENS
Fonte: Jornal O Líder / Keli Fernandes e Camila Pompeo
Publicidade
Publicidade
1 Comentário
:
  • 20/02/2015
    17h21
    luiz henrique pilz zanella
    ate acho que os de racão e leite deveriao ser liberados, afinal a vaca nao tem nada haver com a greve e os bixo tem que comer, senao comer vao morrer, sou 100% a favor do movimento contra essa corja de politico que esta ai mas o bom senso tem que imperar, tenho apoiado memso pq é um protesto sem violencia, nao vamos voltar ao protesto anterior onde só deu kaka né?
    DENUNCIAR
Cadastro WH3
Clique aqui para se cadastrar
Carregando...