A POLÊMICA CONTINUA - 23/12/2016 00:06 (atualizado em 23/12/2016 11:28)

Vereadores criticam nota de repúdio de entidades e aprovam em primeira votação o Orçamento de 2017

Segunda sessão da semana deve ser realizada na manhã desta sexta-feira (23)
Comente agora!
Recomendar correção
Obrigado pela colaboração!
Ouça o áudio:
Vereadores criticam nota de repúdio de entidades - Trechos da Sessão desta quinta (22) - Maria Tereza Capra (PT) , Idemar Guaresi (PR) e Claudete Fabiani (PMDB)
Foto: Camila Pompeo/O Líder

Após a polêmica registrada no início desta semana e das sessões para votação do Orçamento de 2017, os vereadores voltaram a se reunir nesta semana no plenário da Câmara Municipal para a apreciação da matéria. Há poucos dias para o final do ano, os edis justificaram a necessidade da apreciação mesmo após a notícia da morte do ex-prefeito, ex-vereador e ex-deputado, Luís Basso.

Foto: Camila Pompeo/O Líder
“Vai deixar uma marca registrada. Foi um líder, um grande representante do Extremo-Oeste”, disse o presidente da Casa, Idemar Guaresi (PR) após um minuto de silêncio em homenagem ao ex-prefeito falecido. Em um rápido pronunciamento, os demais vereadores também lembraram da trajetória de Luís Basso e o classificaram como um “grande homem”, “uma pessoa do bem” e um “exemplo de dignidade”.

Após o momento em homenagem e o pronunciamento de todos os vereadores, foi a vez da polêmica tomar conta do encontro da noite. Como já era esperado, os edis se pronunciaram durante boa parte da sessão acerca da repercussão da aprovação de um abono especial de Natal de R$ 4 mil para os servidores da Câmara, na última sexta-feira (16). A medida gerou revolta na população e entidades de classe se uniram em uma nota repudiando a atitude. Após o apelo popular negativo, o presidente do Legislativo voltou atrás na resolução e veio a público informar que não assinaria o documento. 

Nesta quinta (22), porém, foi a vez dos vereadores se pronunciarem, dessa vez, em contrariedade à nota de repúdio encaminhada pelo Conselho das Entidades. Os vereadores questionaram a ausência dos representantes das 16 entidades que assinaram a nota de repúdio e, em resposta, teceram severas críticas.

“Que o Conselho das Entidades faça uma nota de repúdio pelo atraso no envio do orçamento pelo prefeito. Estamos sendo tratados como bandidos em São Miguel do Oeste, disseram que somos a vergonha da cidade. Cadê a Acismo, cadê a CDL? Ninguém das entidades participa da sessão, mas participaram de uma nota dizendo que não fomos ‘machos’ para fazer a sessão de terça. Infelizmente é o vereador que paga o pato”, disse Guaresi criticando também o prefeito municipal por um atraso no envio do projeto de Orçamento que, segundo ele, deveria ter chegado à Casa em Outubro e só chegou no início deste mês.

Foto: Camila Pompeo/O Líder
Da mesma forma, a vereadora Maria Tereza Capra (PT) criticou o Executivo pelo atraso no encaminhamento do projeto e disse que, por conta disso, deve encaminhar uma denúncia ao Tribunal de Contas, contra o prefeito João Valar. Maria Tereza também criticou o Conselho das Entidades, formado por entidades de classe (entre elas Acismo e CDL) pela nota em repúdio aos vereadores. 

“Vergonha é a CDL pedir para ser homenageada. Na época eu votei a favor porque não sabia que eram eles que tinham pedido para serem homenageados. Quando que nós fomos pedir para sermos homenageados? Respeito a Zete Lang (presidente da CDL), mas o César Signor não fala como presidente de entidade, fala como pai de alguém do PSD”, criticou, fazendo alusão à homenagem realizada pela Câmara de Vereadores à CDL de São Miguel do Oeste.

O vereador Valnir Scharnoski (PSD) falou sobre a importância da apreciação de uma matéria tão importante como é o Orçamento para o próximo ano. Ele também falou sobre as críticas que os vereadores receberam pelo adiamento da sessão de apreciação que ocorreria nesta terça e quarta-feira. 

Foto: Camila Pompeo/O Líder

“Sempre votamos projetos com competência mas uma das coisas que precisamos é conhecer o regimento interno. Pelo prazo no qual o orçamento veio, as comissões estão dentro do prazo regimental de apreciação. Por isso foi melhor transferir a sessão. Nunca vivi em pressão e não vou aceitar pressão nenhuma. Que a sociedade tenha um pouco de respeito com os vereadores”, argumentou. 

O vereador Gilberto Berté, da bancada do PMDB, também se manifestou compartilhando com os presentes uma das mensagens recebidas por meio das redes sociais após a notícia da aprovação do abono. "Recebi mensagens por WhatsApp e Facebook dizendo que nós todos comemos da mesma lavagem. Isso é uma coisa inaceitável de se dizer", declarou.

Vereadores aprovam o Orçamento de 2017

Mais tarde, durante a sessão desta quinta-feira (23) foi colocado em apreciação em primeira votação o Orçamento de 2017, composto por três projetos de lei: o PL 118/2016 (Lei Orçamentária), o PL 119/2016 (Plano Plurianual) e o PL 120/2016 (Lei de Diretrizes Orçamentárias). A receita e a despesa previstas para 2017 são de R$ 136.050.000,00.

Os vereadores Claudete Fabiani (PMDB), Cláudio Barp (PMDB), Gilberto Berté (PMDB) e Vanirto Conrad (PDT) foram autores de duas emendas, que modificam artigos dos projetos de lei 118/2016 (Lei Orçamentária) e 120/2016 (Lei de Diretrizes Orçamentárias).

As emendas preveem que as modificações a serem realizadas no Orçamento durante o ano, através de créditos adicionais suplementares, especiais e extraordinários, podem ocorrer desde que sejam autorizadas pelo Poder Legislativo através de lei específica. Outra mudança prevista pela emenda altera o artigo 41 do PL 120, aumentando de 7 para 12% o percentual de reajuste e/ou reposição nas remunerações dos agentes políticos e servidores municipais.

“Vale a pena aprovarmos o orçamento se somos conhecidos como os causadores da perda de R$ 1 milhão? Acho que não. Diante desse documento assinado por 16 entidades, elas é que devem fiscalizar e se responsabilizar por aquilo que eles mesmos colocaram na prefeitura”, disse Maria Tereza sinalizando que votaria contrária, mas mudou de ideia de última hora.

Tanto o Orçamento para 2017, quanto os PL 118, 119 e 120/2016 foram aprovados por unanimidade pelos vereadores. 
VEJA MAIS IMAGENS
Fonte: O Líder / Camila Pompeo
Publicidade
Publicidade
Nenhum comentário enviado
:
Cadastro WH3
Clique aqui para se cadastrar
Carregando...