Reciclar e criar - 17/04/2017 09:00

Artesã reutiliza materiais e com criatividade produz casas para animais de estimação

Quem é apaixonado por animais vai gostar de conhecer a história de Pedrina, que, aliando um hobby e renda extra, utiliza materiais reciclados para construir casas de gatos e cães
Comente agora!
Recomendar correção
Obrigado pela colaboração!
Preocupação de Pedrina é reforçar o valor agregado de suas peças, é trabalhar a reciclagem e reforçar a importância da sustentabilidade - Fotos: Débora Ceccon/ Camila Pompeo 

Foi de uma dificuldade que o artesanato entrou na vida de Pedrina Rosane Alves da Costa, de São Miguel do Oeste. Em 2006, quando ficou sem emprego, andando pela rua viu uma exposição de flores em EVA, foi quando ela teve a ideia de buscar a arte como uma renda enquanto não conseguia outro emprego. “Terminei de pagar um consórcio que eu tinha com as flores de EVA e ajudou no sustento da casa”, lembra. Mais tarde, com o artesanato presente em sua vida, Pedrina construiu uma casa para sua gata de estimação e foi quando uma nova ideia surgiu: produzir mais casas de gatos, mas para venda. 

As ideias foram crescendo e a inspiração aumentando. Hoje Pedrina trabalha em uma encomenda na construção de um “triplex” para animais de estimação. O diferencial de Pedrina é que na produção das casas de gatos e cachorros o material que utiliza é praticamente todo reaproveitado, indo de caixas de madeira a móveis descartados, paletes e tecidos descartados. A estrutura das casinhas é feita com a madeira que Pedrinha encontra ou ganha de amigos e as almofadas são preenchidas com tecidos descartados em fábricas de confecções. “Meu foco é a reciclagem. Eu agradeço a Deus pelo talento que Me deu. Quanto mais você faz, mais ideias desenvolve, e eu tenho me encontrado neste trabalho”, revela. 

Fotos: Débora Ceccon/ Camila Pompeo 
O artesanato na vida de Pedrina é um hobby e um complemento à renda familiar. Ela procura fazer as peças quando se sente inspirada e menciona que assim pretende continuar para que o prazer em trabalhar no artesanato não se torne uma obrigação. A atual peça que vem trabalhando, ela começou há uma semana e o trabalho não tem hora: surgiu inspiração, ela se dedica inteiramente ao trabalho, o que já levou ela madrugada adentro cortando madeira, pregando, medindo e colando. “Quando termino um trabalho eu fico contemplando e penso ‘poxa, fui eu que fiz’”, diz. 
A preocupação de Pedrina é reforçar o valor agregado de suas peças, que são feitas com materiais reaproveitados, é trabalhar a reciclagem e reforçar a importância da sustentabilidade. Em um mundo consumista, em que muitas coisas são descartáveis, na oficina de artesanato de Pedrina tudo é reaproveitado, até mesmo os pregos que ela retira dos paletes voltam a ser usados em uma nova peça. “Quando você começa a reciclar, começa a ter um olhar mais crítico e quando eu ando na rua eu percebo a certa distância materiais que eu posso reutilizar. Recolho, coloco no meu carro e levo para casa”, revela. 

Pedrina faz parte de um grupo de artesãos em São Miguel do Oeste, o Talentos e Arte, que tem por objetivo justamente colocar no mercado peças diferenciadas como as que ela produz, reciclando e reaproveitando. 




VEJA MAIS IMAGENS
Fonte: Débora Ceccon/ O Líder
Publicidade
Publicidade
Nenhum comentário enviado
:
Cadastro WH3
Clique aqui para se cadastrar
Carregando...