RETROSPECTIVA DO ANO - 18/12/2017 10:27

“Vamos encerrar o ano com o caixa positivo”, diz vice-prefeito de Guaraciaba

Ano de 2017 foi delicado para várias prefeituras da região, mas vice-prefeito de Guaraciaba salientam investimentos ao longo do período
Comente agora!
Recomendar correção
Obrigado pela colaboração!

Se existe uma palavra que pode resumir o ano de 2017 para a maioria das prefeituras da região Extremo-Oeste catarinense, a palavra é “cautela”. O ano de 2017 representou um período de corte de gastos e reavaliação dos investimentos em vários municípios da região. Para entender em qual contexto as administrações fecham as contas neste final de ano, o Jornal O Líder ouviu os prefeitos e/ou vice-prefeitos das cidades de Guaraciaba, São Miguel do Oeste e Descanso.

Em Guaraciaba, ao que tudo indica, fechar as contas do ano de 2017 não será tarefa tão difícil. A administração trabalha em meio turno neste mês de dezembro. A medida visa incrementar as ações de cortes de gastos que vem sendo tomadas ao longo de todo o ano, reduzindo o valor de diárias e deslocamento de funcionários. 

Jucinei da Chaga/ O Líder – O vice-prefeito de Guaraciaba, Vandecir Dorigon 

Conforme o vice-prefeito, Vandecir Dorigon, o caixa da administração deve encerrar o ano, mais uma vez, positivo. Ele atribui a folga ao empenho de toda a equipe e planejamento ao lado do prefeito Roque Meneghini. “Tivemos bastante planejamento. Temos uma equipe que trabalha junto. Em Guaraciaba temos planejado as ações a cada mês, vendo onde estava se gastando demais e o que temos que fazer para reduzir os gastos, conter os gastos desnecessários. Não vamos ter aquela folga que tínhamos no ano passado, mas vamos encerrar o ano com o caixa positivo”, menciona.

Dorigon ressalta que a administração já está trabalhando no planejamento das principais ações para o ano de 2018. Porém, ainda depende da aprovação do Poder Legislativo para o Orçamento do próximo ano. “Estamos trabalhando nas principais demandas para o próximo ano. Esperamos que o país dê um sinal de melhora para que mais recursos venham de fora e possamos investir. Só o que movimentamos de Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), se não tivermos um aporte do Governo Federal e Estadual, certamente não vamos conseguir executar as obras de maior porte. Temos planejado e esperamos contar com esses recursos para executá-las”, argumenta. 

O vice-prefeito salienta que o setor da agricultura é um dos principais responsáveis pelo movimento econômico do município, por isso, os principais investimentos devem ir para esta pasta da administração municipal. Ele destaca, no entanto, que os outras secretarias terão também toda a atenção no próximo ano. “Não podemos pensar em um setor só quando se é administrador. Cada setor possui uma demanda, mas o município tem 70% do movimento econômico do setor agrícola, temos direcionado parte do nosso planejamento para esse setor. Não podemos nos esquecer nos nossos empresários que investem no nosso município, temos orgulho deles também. O pouco incentivo que administração dá, eles retribuem com o crescimento no movimento econômico”, justifica.

Apesar de um ano mais atípico para os administradores públicos da região, muitos ainda comemoraram demandas antigas atendidas neste primeiro ano de mandato. Dorigon salienta a aquisição de veículos para vários setores da administração. “Apesar das dificuldades, tivemos grandes realizações. Conseguimos realizar o sonho de comprar um trator de esteira que era necessário para dar uma condição melhor ao nosso agricultor. Compramos um ônibus para a educação, carros para a saúde, máquinas para o setor de agricultura e obras, fizemos calçamentos, atendemos muitos pacientes, foram cerca de 28.800 mil consultas realizadas pelos cinco Estratégias de Saúde da Família (ESF’s) de Guaraciaba”, destaca.

Outros setores que estão nos planos da administração para uma incrementada nos investimentos em 2018 é o de Esportes e de Infraestrutura. Mas, tudo vai depender é claro do incentivo do Estado e da União. “Temos grandes projetos para o ano que vem, a exemplo da revitalização do estádio municipal Olímpio Dal Magro, que depende bastante do Ministério dos Esportes e também o projeto de continuidade da pavimentação asfáltica de Linha Índio em direção a Sede Flores. São dois grandes projetos que vão depender de recursos do Governo Federal e Estadual para podemos realizar”, finaliza.

Fonte: O Líder/Camila Pompeo
Publicidade
Publicidade
Nenhum comentário enviado
:
Cadastro WH3
Clique aqui para se cadastrar
Carregando...