Descanso - 17/10/2019 13:44

OUÇA: Agricultor, autor de denúncia contra prefeito de Descanso, se diz enganado e por isso pediu a reabertura do caso Sêmen

Juniomar Capellari procurou nossa reportagem para entregar uma carta onde pontua os motivos da denúncia
Comente agora!
Recomendar correção
Obrigado pela colaboração!
Juniomar Capellari / Foto: Silvana Ruschel / 103FM

O agricultor Juniomar Capellari, autor da denúncia à Câmara de Vereadores de Descanso e pedido de reabertura do processo de investigação do caso Sêmen, contra o prefeito Sadi Bonamigo, procurou a reportagem do Grupo WH Comunicações, para entregar uma carta onde pontua os motivos da denúncia. Em entrevista à 103FM, ele destacou que se sentiu enganado por comprar um produto superfaturado em com baixa qualidade. Na última semana, uma liminar suspendeu o processo de cassação do prefeito.

LEIA TAMBÉM:

Comissão dará prosseguimento à apuração de denúncia contra Bonamigo: "Ficou muito vago", diz presidente sobre defesa

Após decisão de vereadores, defesa de Sadi Bonamigo se manifesta e aponta contradições da Comissão Processante

Legislativo de Descanso aceita nova denúncia e forma comissão para investigar prefeito

"É uma politicagem", diz prefeito de Descanso sobre nova denúncia aceita pelo Legislativo

VÍDEO: Comissão de Inquérito se manifesta sobre nova denúncia e pedido de cassação do prefeito de Descanso

Liminar suspende processo de cassação do prefeito de Descanso, Sadi Bonamigo

Acompanhe a entrevista e a carta na íntegra:

Carta aberta dirigida à população do Município de Descanso

Eu, Juniomar Capellari, cidadão descansense e agricultor no município, venho por meio desta exercer meu direito de resposta, junto a todos os canais de imprensa, e com isso, dar uma satisfação ao povo, acerca dos motivos pelos quais fiz a denúncia e pedido de cassação do mandato do Prefeito Sadi Bonamigo, protocolada sob o n° 5596, em 12/09/2019 na Câmara de Vereadores.

Como havia afirmado anteriormente, sou agricultor desta cidade, como tantos outros que aqui residem e travam, diariamente, as mesmas batalhas que as minhas. Nesse difícil trabalho, muitas vezes me vejo só e, algumas vezes, desamparado, pois vejo o nosso Prefeito à distância e nem mesmo a minha vista alcança, exceto nos períodos eleitorais e nas festividades. Tenho certeza de que a minha impressão é compartilhada pelos meus companheiros agricultores.

Não estou conformado com a situação que está acontecendo no município, ainda mais porque vemos tantas coisas erradas ocorrendo aqui e em todo país. Dito isto, me senti obrigado como cidadão – e não como Presidente da Comissão Provisória do PSL em Descanso – a fazer a denúncia que todos já conhecem. Fi-la em pleno exercício de minhas liberdades constitucionais, usando do meu direito constitucional de petição - que nada mais é do que uma ramificação da liberdade de expressão, protegida pela Carta Política de 1988. Direito este, garantido a qualquer pessoa, para invocar a atenção dos poderes públicos sobre uma questão ou situação.

Foi com muito pesar que recebi a notícia de que minha iniciativa tinha sido considerada como um ato de politicagem - que na acepção da palavra, nos remete a atos inescrupulosos, que visam o benefício próprio e não a coletividade; são ações de politiqueiros que querem se dar bem à custa do povo. Felizmente, quem conhece minha história, sabe que essa afirmação, em nada, tem a ver com minha pessoa. Eu, nem mesmo tenho passado político. Todavia, se hoje me encontro integrando os quadros do PSL é porque estou farto de ver maus políticos ou políticos despreparados – que, a rigor, é a mesma coisa – nos representando e protagonizando ações que soam como verdadeiros descalabros à política, à economia e à justiça social, tão importantes para o nosso país e, por conseguinte, para o nosso município, tão sofridos.

Afirmo categoricamente que o PSL nada tem a ver com os fatos ora denunciados. Contudo, devo dizer que, assim que os filiados tomaram conhecimento da denúncia, os mesmo me apoiaram por entenderem os meus motivos.

Repudio, veementemente, as alegações feitas pelo advogado do nosso Prefeito – portanto dele próprio – dizendo que os vereadores e opositores ao aceitarem a denúncia estariam contra o desenvolvimento do município. Ora, se os vereadores que são contra o desenvolvimento da cidade, são representantes eleitos, democraticamente, pelo povo, logo a impressão que se tem, ao ouvir tal alegação, é de que o povo está contra o desenvolvimento de Descanso, o que é um absurdo. 

Essa falácia não pode - e nem deve - prosperar, já que é dever dos vereadores apurar os fatos relatados em qualquer denúncia feita por qualquer cidadão, inclusive pelo próprio Prefeito, caso ele queira; e nem por isso vai atentar contra o desenvolvimento de Descanso. A estabilidade de nossa Descanso depende, sim, da força de trabalho de todos os seus cidadãos íntegros e exemplares; contribuintes que são, dada a religiosidade com a qual honram seus compromissos e pagam seus impostos, inclusive eu. Portanto, não há que se falar em instabilidade, nem tampouco em frustração ao desenvolvimento de nossa Descanso; porque, assim como eu, nenhum cidadão irá permitir que isso aconteça.

Como denunciante, não sou obrigado a juntar provas - e sim indica-las - como eu fiz na denúncia, cabendo à comissão processante busca-las; pois, do contrário, se essa exigência fosse necessária, a câmara se quer a aceitaria e teria, por desfecho, o arquivamento, o que não ocorreu. Porque será? 

Causa-me espanto a reação alarmista do nosso Prefeito, já prevendo um retrocesso, por conta de uma simples e legítima denúncia feita em face dele. Penso que, se da parte do nosso Prefeito, não houve nenhuma irregularidade, para que tanto alarmismo?

Aos que pensam que sou vilão dessa história - mesmo sabendo que são poucos os que me veem dessa forma - afirmo que sou, apenas, mais uma vítima desse ato de improbidade. Estou convicto de que agi corretamente e que por isso me mantenho firme, mesmo sofrendo pressões e ameaças de retaliações. 

Por fim, desejo que a verdade prevaleça e que a justiça seja feita, quer seja no sentido do afastamento do nosso Prefeito; quer seja no sentido de que ele continue à frente do Poder Executivo Municipal. 

Que Deus abençoe a todos, abundantemente!

Descanso, SC, 17 de outubro de 2019.

JUNIOMAR CAPELLARI
Agricultor
Fonte: Redação WH Comunicações / Silvana Ruschel
Publicidade
Publicidade
Nenhum comentário enviado
:
Cadastro WH3
Clique aqui para se cadastrar
Carregando...