Certificação - 16/10/2020 11:33 (atualizado em 16/10/2020 14:42)

OUÇA: Extremo-Oeste tem 30% das propriedades certificadas como livre de brucelose e tuberculose no Estado

A presidente da Cidasc, Luciane de Cássia Surdi, visitou a regional nesta semana e fez um balanço da gestão e enalteceu as conquistas
Comente agora!
Recomendar correção
Obrigado pela colaboração!

A presidente da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc), Luciane de Cássia Surdi, visitou nesta semana a regional de São Miguel do Oeste onde acompanhou as atividades dos escritórios locais e algumas barreiras para colher sugestões e repassar orientações. Luciane está à frente da companhia há 21 meses, e na sua gestão conseguiu triplicar a quantidade de técnicos na região, a equipe de veterinários passou de quatro para 11 profissionais, além de ter o atendimento de estagiários que auxiliam o trabalho nos escritórios.

Destaque internacional em sanidade agropecuária, Santa Catarina mais uma vez sai na frente com excelentes números na produção animal. Em setembro, o Estado ultrapassou a marca de mil propriedades certificadas livres de brucelose e tuberculose, um marco importante que atesta a excelência sanitária dos rebanhos e o importante trabalho feito pela Cidasc nos controles sanitários na cadeia produtiva. O Extremo-Oeste tem 30% das propriedades certificadas do Estado.

Certificação

O saneamento dos estabelecimentos que aderem à Certificação de Propriedade Livre é feito mediante testes custeados pelos produtores e realizados em todos os animais da propriedade, os reagentes positivos são enviados para abate sanitário. Os testes são realizados por médico veterinário habilitado, com 6 e 12 meses de intervalo, e sem animais reagentes positivos. Terminado o período de testes a propriedade recebe o certificado de propriedade livre de brucelose e tuberculose. A manutenção do status é condicionada ao cumprimento de todas as regras e normas sanitárias estabelecidas. Caso haja pretensão de ingresso de animais na propriedade são exigidos dois testes negativos, exceto se o gado for procedente de outra propriedade livre. A renovação do certificado é anual e os exames devem ser realizados antes de vencer a certificação.

A erradicação da brucelose e tuberculose pode ser mais um diferencial competitivo do agronegócio catarinense. Médicos veterinários da Cidasc realizam, diariamente, educação sanitária nas propriedades rurais de todo o estado, demonstrando a importância da certificação para a valorização do plantel e na redução dos prejuízos do produtor rural com as perdas que ocorrem devido às doenças no rebanho.

Fonte: Redação WH Comunicações / Silvana Ruschel
Publicidade
Publicidade
Nenhum comentário enviado
:
Cadastro WH3
Clique aqui para se cadastrar
Carregando...