Fazer o bem - 14/06/2019 07:43 (atualizado em 14/06/2019 09:00)

Maravilhense relata experiência como doadora de sangue

Hoje (14) é o Dia mundial do doador de sangue e a bombeira militar Francisca Nery, 28, falou como é a experiência
Comente agora!
Recomendar correção
Obrigado pela colaboração!
Nesta sexta-feira (14) é comemorado o Dia Mundial do Doador de Sangue, uma data criada por iniciativa da Organização Mundial da Saúde (OMS). Para quem doa, há um sentimento de gratidão, para quem recebe, de esperança. A bombeira militar Francisca Nery, de 28 anos, é doadora de sangue desde os 21 anos e sempre contribui quando pode. 
Divulgação
“É um gesto muito gratificante. Eu já passei por situações de ter pessoas que precisaram de sangue. O procedimento é rápido e não há consequências ao organismo após a doação, além de salvar vidas. É um gesto simples e rápido, que salva muitas vidas. Têm pessoas que dependem de transfusão diariamente”, relata. 
Francisca trabalha na 3ª Companhia de Bombeiros Militar de Maravilha e faz doações no Centro de Hematologia e Hemoterapia de Santa Catarina (Hemosc) de Chapecó. No entanto, ela já morou em outras cidades e sempre procurou um hemocentro para doar sangue com assiduidade. 
Junho Vermelho 
Por ser um mês considerado mais frio e propício para resfriados e outras infecções respiratórias, o estoque do banco de sangue diminui nesta época. Neste sentido, o Hemosc está com a campanha “Junho Vermelho. Mês do amor. Mês da doação de sangue” para incentivar as pessoas a doar sangue. A responsável pela captação de doadores do Hemosc de Chapecó, assistente social Eliana Ribicki, explica a campanha. 
“São as doações assíduas e frequentes que mantêm nossos estoques de sangue em boas condições para o fornecimento. Se nós tivermos baixa adesão da nossa comunidade, teremos baixa redução dos nossos estoques e dificuldade no fornecimento”, comenta. 
Doe sangue
Estão aptas à doação as pessoas de 16 a 69 anos - em boas condições de saúde - e com peso acima de 50 quilos. Para os menores de idade é obrigatório o acompanhamento dos pais ou responsáveis na hora de doar. A idade-limite para realizar a primeira doação é de 60 anos. Os interessados precisam ir até o Hemosc bem alimentados e realizar um cadastro, preencher um questionário e depois passar por triagem clínica. Em Chapecó, o Hemosc atende de segunda a sexta-feira, das 7h às 18h. O telefone para contato é o (49) 3700 6400. 
Existem algumas questões que impedem os doadores de fazerem as doações, por exemplo, quem está fazendo uso de medicação, hipertensos, diabéticos, quem realizou cirurgia, exame invasivo (endoscopia ou colonoscopia) ou fez tatuagem recentemente; o Hemosc recomenda que aguarde seis meses para retornar e realizar a doação. As dúvidas podem ser sanadas pelo site www.hemosc.org.br.

Fonte: Cleiton Ferrasso/ WH Comunicações
Publicidade
Publicidade
Nenhum comentário enviado
:
Cadastro WH3
Clique aqui para se cadastrar
Entre em contato com a WH3
600

Rua 31 de Março, 297

Bairro São Gotardo

São Miguel do Oeste - SC

89900-000

(49) 3621 0103

Carregando...