segurança no trânsito - 11/09/2019 14:36

OUÇA: Operação Lei Seca em SC já emitiu em 2019 quase o mesmo número de multas registradas no ano passado inteiro

Os dados foram repassados pelo Chefe de Comunicação da Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Santa Catarina, Luiz Graziano, em entrevista concedida ao Programa Atualidades da 103FM
Comente agora!
Recomendar correção
Obrigado pela colaboração!
Foto: Reprodução | Internet
Santa Catarina vem liderando um ranking negativo no país. O Estado tem registrado o maior número de motoristas bêbados em rodovias federais nos últimos dois anos, superando regiões muito maiores e mais populosas, como São Paulo e Minas Gerais
A Operação Lei Seca no Estado já emitiu em 2019 quase o mesmo número de multas registradas no ano passado inteiro. Enquanto nos 12 meses de 2018 foram registradas 5.205 multas, 2019 (até o dia 9/09) já registrou 5.172.
Luiz Graziano, Chefe de Comunicação da PRF em SC - Foto: Reprodução | Internet
Os dados foram repassados pelo Chefe de Comunicação da Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Santa Catarina, Luiz Graziano, em entrevista concedida ao Programa Atualidades da 103FM. Graziano disse que a fiscalização da embriaguez  ao volante seguirá sendo prioridade da PRF nas rodovias federais catarinenses. 
"O catarinense não bebe nem mais e nem menos do que os outros motoristas. A bebida faz parte da cultura do brasileiro, infelizmente. E isso no Estado tem sido uma das causas de acidentes graves. Nosso levantamento mostra que pelo menos 10% das mortes no trânsito em SC são causados por motoristas embriagados. SC sempre figurou, infelizmente, como um dos Estados com o maior número de acidentes. Por esse motivo a atual superintendência decidiu priorizar a fiscalização de álcool. Já fizemos esse ano quase o que fizemos o ano passado inteiro, porque acreditamos que se continuarmos fiscalizando a embriaguez ao volante podemos diminuir esses números de acidentes causados por motoristas embriagados", menciona.
OUÇA A ENTREVISTA DO CHEFE DE COMUNICAÇÃO DA PRF/SC, LUIZ GRAZIANO, NA ÍNTEGRA:
O chefe de comunicação salienta que a política da PRF é de não aceitação de álcool misturado com direção, tanto é que não existe tolerância. Em função da gravidade dos acidentes envolvendo motoristas embriagados, a legislação proíbe toda e qualquer pessoa que tenha ingerido qualquer quantidade de álcool de conduzir um veículo. 
"As pessoas hoje tem sensação de impunidade, elas não acreditam que vão cair numa blitz. É isso que queremos mudar, inclusive estamos fazendo contato com a Polícia Militar e com a Brigada Militar para que todos juntos façamos essa fiscalização e se puna esse motorista. Tem uma série de consequências pesadas, mas mesmo assim as pessoas não se conscientizam", salienta. 
Em um dos casos mais recentes de embriaguez ao volante, registrado na segunda-feira (9), Graziano revela que um motorista de uma carreta foi flagrado próximo ao meio-dia, na movimentada BR-101 em Joinville. O bafômetro acusou 1,23 miligramas de álcool por litro de ar, o que equivalente a pelo menos cinco doses de destilado ingeridas nas últimas duas horas. "As pessoas não tem limite. Existe uma regra, houve um estudo técnico para definir esses parâmetros. Quer beber? Maravilha! Só não dirija depois", menciona.
ATENÇÃO: Dirigir embriagado é classificado como infração gravíssima, com instauração de processo administrativo para a suspensão da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) por 12 meses, além de multa no valor de R$ 2.934,70. Se houver reincidência no período de um ano, o valor é dobrado e a CNH é cassada.
VEJA MAIS IMAGENS
Fonte: Camila Pompeo | WH Comunicações
Publicidade
Publicidade
Nenhum comentário enviado
:
Cadastro WH3
Clique aqui para se cadastrar
Entre em contato com a WH3
600

Rua 31 de Março, 297

Bairro São Gotardo

São Miguel do Oeste - SC

89900-000

(49) 3621 0103

Carregando...