VIVA BEM - 16/07/2020 14:32

A qualidade do ar na prevenção do Coronavírus

Comente agora!
Recomendar correção
Obrigado pela colaboração!
Edson Basto – Engenheiro Mecânico / Divulgação

A Pandemia que o mundo enfrenta atualmente expos uma série de situações que provem alternativas para a minimização da transmissão do Coronavírus. Além das pesquisas sobre medicamentos e vacinas, especialistas nas mais diversas áreas têm atuado na criação de protocolos de higienização, validação de equipamentos de proteção individual, distanciamento social e minimização de aglomerações de pessoas em espaços públicos. A qualidade do ar agora está em destaque e virou pauta mundial e vamos destacar aqui algumas ações que auxiliam na manutenção das correntes de circulação em ambientes climatizados. 

VEJA TODAS AS MATÉRIAS DO PROGRAMA VIVA BEM

Propagação do coronavírus pelo ar

É sabido que o vírus em questão contamina as pessoas pelas vias aéreas superiores dos indivíduos por meio de gotículas provenientes de pessoas contaminadas. Nesse sentido é fácil perceber que o ar é um eminente vetor de contaminação, pois carrega tais gotículas em suas correntes de circulação. 

Estudos recentes de especialistas em infectologia de diversas instituições renomadas estão fazendo com que a Organização Mundial de Saúde mude sua postura e passe a reconhecer a propagação do vírus pelo ar. Ficou comprovado por tais estudos que o vírus permanece por vários minutos ativo no ar e ao encontrar as vias aéreas acaba por contaminar os indivíduos presentes naquele ambiente.

Cuidados em ambientes climatizados 

Desta maneira, a qualidade do ar nos ambientes climatizados (públicos e domésticos) passa a ter importância crucial na mitigação da transmissão do vírus nestes locais. Deve-se ter em mente que grande parte das atividades humanas ocorre em ambientes climatizados artificialmente de tal sorte que as medidas já previstas em legislações vigentes há muitos anos devem ser melhor observadas e auditadas principalmente pelos Órgãos de Vigilância Sanitária.

PMOC 

Dentre as principais medidas de controle de contaminação pelo Coronavírus pelo ar nos ambientes climatizados tem-se a implementação de Planos de Manutenção, Operação e Controle (PMOC) como já previsto em legislação vigente e utilizado no Hospital Regional Terezinha Gaio Basso. Tais planos têm por objetivo garantir a qualidade do ar interno nas diversas situações de ambientes climatizados, por meio de procedimentos de controle de conforto térmico e de contaminações biológicas e físico-químicas.

Na implementação de tal PMOC é necessário verificar a adoção de filtros de ar mais poderosos, aumento das taxas de renovação de ar o que minimiza o ar de recirculação, utilização de lâmpadas ultravioletas de baixo comprimento de onda para eliminação de material biológico que flutua em gotículas do ar e obviamente a utilização de máscaras e distanciamento físico. 

Pode-se concluir que um Plano elaborado com as boas características técnicas e os conceitos de qualidade e pureza do ar tende a ser um elemento de bastante eficiência no combate a transmissão do vírus e minimizar os efeitos devastadores, aos seres humanos que circulam nestes locais. 

Hospital Regional Terezinha Gaio Basso de São Miguel do Oeste
Edson Basto – Engenheiro Mecânico – CREA/SC 058125-4
Diretora técnica - Katia Bugs – médica - CRM 10375 – Nefrologista - RQE 5333


Fonte: Ascom Hospital Regional
Publicidade
Publicidade
Nenhum comentário enviado
:
Cadastro WH3
Clique aqui para se cadastrar
Entre em contato com a WH3
600

Rua 31 de Março, 297

Bairro São Gotardo

São Miguel do Oeste - SC

89900-000

(49) 3621 0103

Carregando...