APOIO - 03/09/2021 07:31

Eskudlark apoia criação do centro de atendimento de EM e ELA em SC

Deputado recebeu na Alesc, Promotora de Justiça Larissa Mayumi Karazawa Takashima, diagnosticada com ELA, fundadora da Arela, e que atuou com destaque na Vara da Infância e Juventude em São Miguel do Oeste
Comente agora!
Recomendar correção
Obrigado pela colaboração!

Divulgação

As presidentes da Associação de Apoio aos Portadores de Esclerose Múltipla da Grande Florianópolis (Aflorem), Suelen Alves, e da Associação Regional de Esclerose Lateral Amiotrófica em Santa Catarina (Arela/SC), Larissa Mayumi Karazawa Takashima Ouriques, estiveram reunidas com o deputado Maurício Eskudlark (PL) para solicitar a realização de uma audiência pública para esclarecer informações sobre as doenças e solicitar apoio para criação de protocolos e a implantação de um centro de referência de atendimento de Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) e Esclerose Múltipla (EM) no HU – Hospital Universitário Polydoro Ernani de São Thiago.

O parlamentar, que é membro da Comissão de Saúde da Alesc, assegurou que vai encaminhar solicitação à Comissão e apresentar um projeto de lei que garanta prioridade no atendimento para ajudar as pessoas que sofrem destas doenças.

De acordo com Eskudlark, a proposta da audiência pública é para esclarecer as diferenças das doenças e falar da importância da implantação de um centro de atendimento no estado como forma de facilitar o atendimento e o tratamento das doenças. “Hoje não temos um centro de referência e um protocolo deste atendimento, a intenção é que com a criação deste centro o atendimento será rápido, contando com uma equipe especializada com médicos, fisioterapeutas, nutricionistas, dentre outros profissionais; e atendimento psicológico e jurídico”, destacou.

Eskudlark se comprometeu em representar as entidades na Alesc, agradecendo a presença de todos, em especial da Promotora de Justiça Larissa Mayumi Karazawa Takashima, diagnosticada com ELA, e uma lutadora da causa. “A Larissa é uma pessoa querida, que deixa boas lembranças por onde passa, ela atuou com destaque na Vara da Infância e Juventude em São Miguel do Oeste realizando projetos que fizeram diferença na sociedade, transformando a vida de muitas crianças e jovens, e hoje ela faz o mesmo, mas de outra forma”, destacou.

Larissa conhece bem a doença. A sua mãe e a sua tia materna também foram diagnosticadas com ELA e morreram em decorrência da enfermidade, em 1999 e em 2016. Diante do prognóstico difícil, a aposentada pretende atenuar o sofrimento de quem convive com a doença.  "Eu ressignifiquei a minha vida. Transformei toda a dor em amor. Trabalho de forma semelhante ao cargo de promotora de Justiça, ajudando o próximo. Me sinto realizada e completa".

Divulgação

Sobre as doenças

Suelen Alves explica que as duas doenças são parecidas, mas que há diferenças. A esclerose múltipla (EM) é um distúrbio imprevisível que pode causar vários sintomas, que podem agravar-se e depois diminuir ao longo de dias, meses ou mesmo anos. Embora a esclerose múltipla não seja contagiosa, suas causas ainda não são totalmente compreendidas e os pesquisadores continuam buscando respostas.

Já a Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) é uma doença que afeta o sistema nervoso de forma degenetariava e progressiva e acarreta em paralisia motora irreversível. Pacientes com a doença sofrem paralisia gradual e morte precoce como resultado da perda de capacidades cruciais, como falar, movimentar, engolir e até mesmo respirar. O físico britânico Stephen Hawking, morto em 2018, foi um dos portadores mais conhecidos mundialmente da ELA.

VEJA MAIS IMAGENS
Fonte: Raio de Luz FM / Inácio Rohden com informações da Assessoria
Publicidade
Publicidade
Nenhum comentário enviado
:
Cadastro WH3
Clique aqui para se cadastrar
Entre em contato com a WH3
600

Rua 31 de Março, 297

Bairro São Gotardo

São Miguel do Oeste - SC

89900-000

(49) 3621 0103

Carregando...