Viva Bem - 07/05/2019 14:37

Higienização das mãos salva vidas

Comente agora!
Recomendar correção
Obrigado pela colaboração!
Natacha Zappani – Enfermeira no Hospital Regional Terezinha Gaio Basso de São Miguel do Oeste / Foto: Ascom Hospital Regional SMOeste

As Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde (IRAS) representam grave problema, gerando um impacto econômico significativo nos clientes e sistemas de saúde mundiais. Porém, uma ação simples, a higienização das mãos no momento certo e maneira correta, pode salvar vidas! 

Saiba mais:

VEJA TODAS AS MATÉRIAS DO PROGRAMA VIVA BEM

POR QUE HIGIENIZAR AS MÃOS É TÃO IMPORTANTE?
Utilizamos nossas mãos para praticamente tudo e a pele é um reservatório para diversos microrganismos (bactérias, vírus...). As Infecções podem ser transmitidas por meio do contato direto (pele com pele) ou indireto (ao tocar em objetos ou superfícies contaminadas). As mãos são consideradas as principais ferramentas dos profissionais que atuam nos serviços de saúde, pois é com elas que eles executam suas atividades. Sendo assim, a segurança dos pacientes também depende da higienização cuidadosa e frequente das mãos desses profissionais e pessoas ao redor. 

LAVAR OU HIGIENIZAR AS MÃOS? QUAL A DIFERENÇA?
O termo LAVAGEM DAS MÃOS foi substituído por HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS devido à maior abrangência desse procedimento. Higienização das mãos engloba tanto o uso de água e sabonete quanto a aplicação de produtos antissépticos, entre eles o álcool.

QUAL O PRODUTO INDICADO PARA A HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS?
Água e sabão: quando as mãos estão visivelmente sujas, quando forem expostas a potenciais organismos formadores de esporos e após usar o banheiro;
Álcool: demais situações.

QUANDO OS PACIENTES E SEUS ACOMPANHANTES/FAMILIARES DEVEM HIGIENIZAR AS MÃOS?
- Antes de encostar no paciente;
- Após encostar no paciente;
- Após o contato com áreas próximas ao paciente (cama, suporte de soro, equipamentos utilizados no paciente).

QUANDO OS PROFISSIONAIS DA SAÚDE DEVEM HIGIENIZAR AS MÃOS?
- Antes e após tocar no paciente;
- Antes da realização de procedimento limpo/asséptico;
- Após o risco de exposição a fluidos corporais;
- Após tocar as superfícies próximas ao paciente.

Natacha Zappani – Enfermeira no  Hospital Regional Terezinha Gaio Basso de São Miguel do Oeste 
Diretora técnica - Katia Bugs - CRM 10375

Fonte: Ascom Hospital Regional
Nenhum comentário enviado
:
Cadastro WH3
Clique aqui para se cadastrar
Carregando...