Viva Bem - 13/09/2019 15:20 (atualizado em 13/09/2019 15:26)

Um mal do rim, a hipertensão

Você sabia que 40% dos hipertensos possuem problemas renais?
Comente agora!
Recomendar correção
Obrigado pela colaboração!
Katia Rosane Teixeira Bugs – Médica nefrologista e diretor técnica no Hospital Regional Terezinha Gaio Basso / Divulgação

Sim, doença silenciosa, a hipertensão ou pressão alta acomete milhares de brasileiros e a falta de cuidados com a doença tem grandes chances de afetar os rins. Os números são alarmantes, um em cada três adultos tem hipertensão arterial.

Dados da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) mostram que a pressão alta, como é popularmente conhecida, atinge mais de 33,5 milhões de pessoas apenas no Brasil. E o que mais afasta esses pacientes do devido tratamento não é o acesso ao sistema de saúde, mas sim a falta de conscientização.

Saiba mais:

VEJA TODAS AS MATÉRIAS DO PROGRAMA VIVA BEM

Quanto mais alta a pressão arterial, maiores os riscos à saúde. Pessoas hipertensas têm mais chance de terem infartos, AVC, insuficiência cardíaca e problemas renais. Em estado normal, os rins filtram 25% de todo o sangue bombeado pelo coração. Nas pessoas hipertensas os rins são sobrecarregados. Ao longo do tempo, perdem lentamente sua função. Quando já existe a doença renal pela hipertensão, os próprios rins contribuem para o aumento da pressão, agravando a doença.

Obesidade, histórico familiar, estresse e envelhecimento estão associados ao desenvolvimento da hipertensão. O sobrepeso e a obesidade podem acelerar até 10 anos o aparecimento da doença. O consumo exagerado de sal, associados a hábitos alimentares não adequados também colaboram para o surgimento da hipertensão. No Brasil, 51% das pessoas têm excesso de peso, sendo que 14% são obesos. E esse aumento de peso está relacionado a eventos cardiovasculares.

Medidas preventivas:

Atividades físicas e dieta saudável podem ajudar a evitar e controlar a doença e suas consequências. A mudança no estilo de vida é fundamental, como parar de fumar, perder peso, exercícios regulares (indica-se ao menos 40 minutos durante 5 dias na semana) e reduzir o consumo de bebidas alcoólicas. Também é preciso se atentar para um dos grandes vilões do organismo, o sal. 

•Considera-se razoável que adultos com pressão inferior a 120 x 80 mmg tenham a pressão aferida a cada ano

•Aos já hipertensos, indica-se uma visita anual ao médico, com dosagens de glicose e creatinina no sangue e pesquisa de albumina na urina. Essas medidas mostram ao médico o estado de evolução da doença, para que se possa otimizar o tratamento.

•Quando há alteração de creatinina e presença de albumina na urina, é aconselhável procurar o atendimento de um nefrologista.

Katia Rosane Teixeira Bugs – Médica nefrologista e diretor técnica no Hospital Regional Terezinha Gaio Basso de São Miguel do Oeste – CRM 10375 | RQE 5333


Fonte: Ascom Hospital Regional
Nenhum comentário enviado
:
Cadastro WH3
Clique aqui para se cadastrar
Carregando...