Novembro Azul - 01/11/2019 10:23

Câncer de Próstata: diagnóstico precoce aumenta em 95% a chance de cura

Comente agora!
Recomendar correção
Obrigado pela colaboração!

Alexandre Fernandes Costa Lima – Urologista / Foto: Ascom Hospital Regional SMOeste

A próstata é uma glândula que faz parte do aparelho reprodutor masculino, localizada abaixo da bexiga, englobando o início da uretra. Tem como função a produção do esperma. No adulto jovem, a próstata tem o tamanho de uma noz. Após os 45 anos de idade, em todo homem, começa a desenvolver um tumor benigno na próstata (hiperplasia prostática benigna) e com avançar da idade, aumenta a chance de surgir um tumor maligno. Por isso a importância dos exames anuais e cuidado.  

Saiba mais:

VEJA TODAS AS MATÉRIAS DO PROGRAMA VIVA BEM

INCIDÊNCIA: 

- A cada 41 homens, pelo menos 1 morrerá de câncer de próstata; 

- O câncer de próstata é a segunda principal causa de morte por câncer em homens, seguido apenas pelo câncer de pulmão;

- Cerca de 25% dos pacientes com câncer de próstata ainda morrem devido à doença;


NO BRASIL:

- para cada ano do biênio 2018/2019, serão diagnosticados 68.220 novos casos;  

- 1 diagnóstico de CAP (Câncer de Próstata) a cada 7 minutos;

- 1 morte por CAP a cada 45 minutos;

- 66 novos casos a cada 100 mil homens;

- cerca de 20% ainda são diagnosticados em estágio avançado;

FATORES DE RISCO:

- Idade: o risco aumenta com o avançar da idade. No Brasil, a cada dez homens diagnosticados com câncer de próstata, nove têm mais de 55 anos;

- Histórico de câncer na família: homens cujo o pai, avô ou irmão tiveram câncer de próstata, têm três vezes mais chances de desenvolver a doença;

- Sobrepeso e obesidade: estudos recentes mostram maior risco de câncer de próstata em homens com peso corporal mais elevado;

- Sedentarismo;

- Etnia: afrodescendentes com maior risco. 

SINAIS E SINTOMAS:

Na fase inicial, o câncer de próstata pode não apresentar sintomas, mas, quando apresenta, os mais comuns são:

- dificuldade de urinar;

- demora em começar e terminar de urinar;

- sangue na urina;

- diminuição do jato de urina;

- necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite;

- Na fase avançada do câncer:  dor óssea, dores ao urinar, presença de sangue na urina e/ou no sêmen.

Esses sinais e sintomas também ocorrem devido a doenças benignas da próstata. Por exemplo:

- Hiperplasia benigna da próstata que é o aumento benigno da próstata e afeta mais da metade dos homens com idade superior a 50 anos e ocorre naturalmente com o avançar da idade;

- Prostatite que é uma inflamação na próstata, geralmente causada por bactérias.

DIAGNÓSTICO:

- anamnese (entrevista realizada pelo médico); 

- exame clínico (toque retal); 

- dosagem sanguínea do PSA;

- ultrassonografia;

- ressonância magnética multiparamétrica;

- biópsia.

TRATAMENTO:

O tratamento vai depender do estágio da doença e da condição clínica do paciente.

Doença localizada (confinada à próstata):

- cirurgia radical: aberta, laparoscópica e robótica;

- radioterapia;

- vigilância ativa: acompanhamento clínico da doença. Utilizada em casos quando o tumor tem características pouco agressivas. 

Doença localmente avançada (somente ultrapassa os limites da próstata): 

- cirurgia radical acompanhada ou não de hormônio;

- radioterapia.

Doença avançada (presente em outros órgãos (metástase), como ossos, gânglios e pulmões):

- tratamento clínico com hormonioterapia, quimioterapia e novas drogas orais, que melhoram a qualidade de vida e aumentam a sobrevida.

PREVENÇÃO

- dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais;

- diminuir o consumo de gordura, principalmente as de origem animal;

- fazer atividade física;

 - manter o peso adequado à altura; 

- diminuir o consumo de álcool e não fumar;

- CHECK-UP: todo homem acima dos 50 anos de idade (ou 45 em caso de história de câncer na família) deverá realizar o check-up anual;

- diagnóstico precoce aumenta em 95% a chance de cura.

Alexandre Fernandes Costa Lima – Urologista no Hospital Regional Terezinha Gaio Basso – CRM 3978 | RQE 831 
Diretora técnica – médica Katia Bugs - CRM 10375


Fonte: Ascom Hospital Regional
Nenhum comentário enviado
:
Cadastro WH3
Clique aqui para se cadastrar
Carregando...