Novidades da Maçã - 15/09/2020 17:12

Apple anuncia Apple Watch com monitor de oxigênio no sangue e novos iPad

Empresa também mostrou versão mais barata do relógio inteligente, novo iPad tradicional, novo iPad Air e pacote de serviços de assinatura. iPhones ficaram de fora.
Comente agora!
Recomendar correção
Obrigado pela colaboração!
Apple Watch Series 6. — Foto: Reprodução/Apple

A Apple realizou um evento on-line nesta terça-feira (15) para anunciar as novas gerações do seu relógio inteligente e de dois iPads.

Foram revelados o Apple Watch Series 6, uma versão mais barata do relógio chamada Apple Watch SE, um novo iPad de 10,2 polegadas, e um novo iPad Air.

Confira os preços no Brasil:
Apple Watch Series 6 - a partir de R$ 5.299;
Apple Watch SE - a partir de R$ 3.799;
iPad Air de 4ª geração - a partir de R$ 6.999;
iPad de 8ª geração - a partir de R$ 3.999;

A Apple tem tradição de revelar seus novos iPhones no evento de setembro, mas dessa vez o celular ficou de fora.

A empresa informou aos seus acionistas que a pandemia atrasou a produção do aparelho. A expectativa é que a nova geração de smartphones seja revelada em outubro.

Apple Watch Series 6

A empresa começou a apresentação com a nova geração do Apple Watch, destacando as funcionalidades do produto voltadas para a saúde.

Chamado de Apple Watch Series 6, o modelo tem um novo sensor: um monitor de oxigênio no sangue, um oxímetro.

Uma luz vermelha e em infravermelho é emitida no pulso do usuário para fazer as medições e mostrar os resultados em 15 segundos.

Apple Watch Series 6 terá oxímetro, para monitorar níveis de oxigênio no sangue. — Foto: Reprodução/Apple

Há ainda um monitoramento em segundo plano, feito periodicamente. A Apple diz que o foco do recurso está em "aplicações fitness", para exercícios físicos, mas que estão trabalhando com redes de saúde para estudar cuidados com o coração.

Há um estudo relacionado com a Covid-19, também – mas o relógio não oferecerá nenhum tipo de diagnóstico neste momento. As funcionalidades de saúde precisam passar pela aprovação de agências reguladoras como a FDA, nos Estados Unidos, e a Anvisa, no Brasil.

O relógio não teve grandes alterações na aparência, mas estará disponível em novas cores. Os consumidores poderão escolher entre dourado, vermelho, grafite e azul.

O relógio será vendido nos tamanhos 44 mm ou 40 mm, a partir de R$ 5.299.

Citando esforços de sustentabilidade, a Apple disse que não irá incluir o cabo para carregar o relógio, que deverá ser comprado separadamente. Esse item custa R$ 319 na loja oficial da empresa.

O Apple Watch ficou R$ 1.300 mais caro em comparação com o modelo lançado no ano passado, que saía por R$ 3.999. Se incluirmos o carregador, a alta pula para R$ 1.620.

Há uma pulseira fabricada com um novo material. Chamadas de "Solo Loop", elas são uma peça única de silicone, sem fivela, estarão disponíveis em 7 cores e em opções trançadas.


O Apple Watch Series 6 virá com a nova versão do sistema operacional watchOS, que a empresa revelou em junho.
A atualização, que estará disponível para os modelos Series 3 em diante, adiciona rastreamento da qualidade do sono, um novo aplicativo de exercícios e a possibilidade de compartilhar o visual da face do relógio com amigos.

Apple Watch SE

Apple Watch SE. — Foto: Reprodução/Apple

A empresa também anunciou uma versão mais barata do seu relógio inteligente, chamado de Apple Watch SE.
Ele terá um processador mais simples do que o do Series 6, porém ainda mais rápido do que a versão Series 4.

Ele é equipado com sensores como acelerômetro, monitor de batimentos cardíacos, compasso, giroscópio, sensor de movimento e detecção de queda. O oxímetro, que mede oxigênio no sangue, é exclusividade do modelo mais caro.

As novas pulseiras de silicone serão compatíveis. A Apple diz que embora seu visual lembre o Series 3, lançado em 2017, a tela do novo relógio é 30% maior.

O Apple Watch SE está disponível nos tamanhos 44 mm ou 40 mm, a partir de R$ 3.799.

Ele também não terá o cabo para carregar na caixa, que deverá ser comprado separadamente. A versão oficial do item custa R$ 319.

O Series 3, que ainda será vendido, sai por R$ 2.599 e inclui o carregador na caixa.

Novo iPad Air

Novo iPad Air. — Foto: Reprodução/Apple

O iPad Air recebeu algumas características dos modelos mais poderosos.

O processador é um A14 Bionic, com a promessa de 40% mais performance do que o último iPad Air, lançado no ano passado. A companhia afirmou que esse é o "chip mais avançado" que já fabricaram.

O visual mudou, com bordas menores. A tela de 10,5 polegadas agora ocupa mais o espaço frontal do dispositivo.

O modelo terá uma porta USB-C, abandonando a entrada Lightining. Essa mudança trará mais compatibilidade com acessórios de outras fabricantes.

Em termos de acessórios da própria Apple, ele é compatível com a Apple Pencil, caneta para escrever à mão e desenhar, e a capinha com teclado – que são comprados de forma separada e custam R$ 1.599 e R$ 1.899, respectivamente.

O iPad Air será vendido no Brasil por R$ 6.999, mas sua disponibilidade ainda não foi revelada.

Houve subida nos preços do iPad Air. No ano passado ele foi lançado no Brasil por R$ 4.499 – alta de R$ 2.000, embora o tablet não tivesse tanta potência.

Novo iPad de 10,2 polegadas

O iPad de 10,2 polegadas chega a sua 8ª geração, sem novidades na aparência, mas com atualizações em seu processador.

O chip utilizado no tablet é o A12 Bionic, que apareceu no iPad Air e iPad Mini de 2019.

A Apple promete 40% mais desempenho em relação à geração anterior do iPad de 10,2 polegadas, e o dobro de performance gráfica.

O modelo também terá compatibilidade com a capinha com teclado e o Apple Pencil, mas esse iPad ainda tem o conector Lightning, porta proprietária da Apple.

O produto será vendido no Brasil começando em R$ 3.999 – uma alta de R$ 1.000 se comparado com a geração anterior, lançada em 2019 por R$ 2.999.

Pacote de assinaturas Apple One

Opção que vinha sendo especulada há meses, o Apple One é o pacote que reúne assinaturas da empresa.

O serviço irá juntar Apple Music, Apple TV Plus, Apple Arcade, Apple News Plus e iCloud. Inicialmente, estará disponível nos EUA, mas está previsto para ser até o fim de dezembro em mais de 100 países, o que deve incluir o Brasil.

Serão 3 pacotes, com 30 dias de testes grátis:

Individual reunindo Apple Music, TV+, Arcade e 50 GB no iCloud por R$ 26,50 mensais;

Família com Apple Music, TV+, Arcade e 200 GB no iCloud por R$ 37,90 mensais para cinco pessoas;

Premier reunindo Apple Music, TV+, Arcade, News+, Fitness+ e 2 TB no iCloud (somente nos EUA) por US$ 29,95 mensais.

Pacotes de assinatura do Apple One. — Foto: Reprodução/Apple

No Brasil, o custo para assinar cada um dos serviços separadamente é de R$ 36,50. O primeiro pacote traz economia de R$ 13,50, enquanto a opção família tem desconto de R$ 17,50 mensais.

O plano individual geraria uma economia nos EUA de US$ 6 por mês, com base nas opções tradicionais de assinaturas separadas, de acordo com a Apple. A versão família sai US$ 8 mais barata. O Premier geraria economia de US$ 25.

Atualizações de sistema

No final do evento, o CEO da Apple, Tim Cook, anunciou que as atualizações de sistema operacional de todos os seus produtos estarão disponíveis amanhã.

A partir desta quarta-feira (16), os usuários de iPhone poderão instalar o iOS 14 em seus produtos. Os iPads também receberão novidades, bem como a Apple TV e os relógios inteligentes.

Fonte: G1
Publicidade
Publicidade
Nenhum comentário enviado
:
Cadastro WH3
Clique aqui para se cadastrar
Entre em contato com a WH3
600

Rua 31 de Março, 297

Bairro São Gotardo

São Miguel do Oeste - SC

89900-000

(49) 3621 0103

Carregando...