Ameaça - 11/01/2022 07:19 (atualizado em 11/01/2022 07:42)

Jornalista natural de São Miguel do Oeste sofre ameaça em Balneário Camboriú

Demori é editor-executivo do site The Intercept Brasil e entre seus principais trabalhos está a coordenação da série de reportagens sobre os arquivos da Vaza Jato.
Comente agora!
Recomendar correção
Obrigado pela colaboração!
Escritor e jornalista Leandro Demori / Foto: Silvana Toldo Ruschel / WH3 / Arquivo

O jornalista Leandro Demori, editor-executivo do site The Intercept Brasil, foi perseguido e ameaçado por um homem em Balneário Camboriú, onde passa férias com a família. Catarinense de São Miguel do Oeste, Demori é um dos nomes mais expressivos da nova geração do jornalismo brasileiro – seus principais trabalhos incluem a coordenação da série de reportagens sobre os arquivos da Vaza Jato.

A ameaça ocorreu no domingo (9) à tarde. Demori estava acompanhado da mulher e do filho pequeno em uma mercearia, na Avenida Brasil. Quando saíram do comércio o homem, que também fazia compras no local, foi atrás. Ele tocou no ombro do jornalista e disse “se liga que a vida do teu filho depende de ti”. Em seguida, deu a volta e entrou em uma rua próxima.

Demori registrou um Boletim de Ocorrência online. A colunista Dagmara Spautz do DC, procurou a Polícia Civil, que não informou sobre o andamento do caso - como se trata de registro de ameaça, as investigações dependem de representação formal pela vítima. Nesta segunda-feira (10), a Polícia Militar identificou o autor das ameaças e o jornalista informou que serão tomadas as medidas cabíveis.

Esta não é a primeira vez que Demori é alvo de ameaças. O jornalista anda com seguranças desde 2019, e a Organização das Nações Unidas (ONU) recomendou ao governo brasileiro que oferecesse a ele medidas protetivas após as publicações da Vaza Jato. A recomendação, no entanto, não foi acatada pelo governo Bolsonaro.

A violência contra jornalistas no Brasil, com agressões e ameaças, tem crescido exponencialmente – o que levou o país a entrar pela primeira vez, no ano passado, na chamada “zona vermelha” de risco à liberdade de imprensa. O levantamento é feito pela organização internacional Repórteres Sem Fronteiras.

Fonte: NSC / DAGMARA SPAUTZ
Publicidade
Publicidade
Nenhum comentário enviado
:
Cadastro WH3
Clique aqui para se cadastrar
Entre em contato com a WH3
600

Rua 31 de Março, 297

Bairro São Gotardo

São Miguel do Oeste - SC

89900-000

(49) 3621 0103

Carregando...